sábado, 30 de janeiro de 2010

Síndrome de Rett

Professores precisamos ficar atentos não para sugerir ou diagnosticar, porque esse não é definitivamente o nosso papel ou especialidade, mas para alertar os pais da necessidade de buscar uma orientação adequada,caso haja algum relato característicos.




O SÍNDROMA DE RETT AFETA QUASE EXCLUSIVAMENTE AS MENINAS CAUSANDO UM COMPROMETIMENTO PROGRESSIVO DAS FUNÇÕES MOTORA E INTELECTUAL ASSIM COMO DISTÚRBIOS DE COMPORTAMENTO. O DIAGNÓSTICO PRECOCE É IMPORTANTE PARA DIRECIONAR O TRATAMENTO
Fontes:
http://anpar.planetaclix.pt/Caracteristicas.htm
http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/11471

Outas fontes:
http://www.medicalnewstoday.com/articles/177468.php (Enviada por uma colega do grupo autismoeinclusao).

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Inclusão


Deficiência intelectual, mente estimulada.

A materia na integra está disponível no site:
http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/educacao/conteudo_477522.shtml

É uma abordagem muito boa de situações interessantes como: O diagnóstico, que ao invés de ser visto como um novo rótulo ou uma comprovação da incapacidade da criança, é visto como uma ferramenta a mais e precisa ser utilizado como apoio gerador de avanços e como norteador de estratégias.
Cássia Virgens

(Adoro Calvin).

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Autismo -Uma questão de amor!

Veja o vídeo

http://www.youtube.com/watch?v=Cq9hshNbhzQ

Amar é incondicional, os pais já sabem disso!
Falta apenas comunicar "a todos" que devemos amar os filhos, não só os nossos, mas os filhos. (dos outros também!).

Cássia Virgens

Video recebido de uma colega do grupo autismo e inclusão.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Porquê?


Crianças gostam de fazer perguntas sobre tudo. Mas nem todas as respostas cabem num adulto.
 Arnaldo Antunes

Podemos acostumar os pequenos a usar frases mais positivas e que demonstrem segurança.


CARTAZ PARA FIXAR NA SALA
No trabalho com o Ensino Fundamental, não me canso de sugerir para as crianças, que ao se expressar, lembrem de usar frases positivas que demonstrem segurança.

Por coincidência encontrei a mesma proposta em uma escola que tive acesso como educadora.

Pensar e falar de forma positiva e com segurança, com certeza, faz com que o cérebro acredite na mensagem.

Um forte abraço!
Cássia Virgens

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Lógica da criança


Já não encontramos mais crianças como antigamente, que bom!

É claro que os processos de construção da lógica da criança, são diferentes do adulto, por isso é preciso estar atento e consciente que algumas ações condenáveis em um adulto são totalmente compreensíveis e diferentes, quando vindas de uma criança.
Isso não significa que não devemos educar e orientar, mas compreender e enxergar de outro ângulo e com mais paciência.
Por exemplo, a mentira, a maldade, o pegar algo que não é seu..., são ações e atitudes que não podem e nem devem ser julgadas com a mesma carga que quando praticadas por uma criança.




Quel tal ler:

FLAVEL, J. H. A psicologia do desenvolvimento de Jean Piaget. São Paulo: Pioneira, 1975.

Indicação de Márcia Gomes do blog: http://educandoecuidando.blogspot.com/-Livro O poder da observação da Artmed.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Para ler e pensar!

Passamos a vida acumulando mais que o necessário, retirando o dispensável, maldizendo os amigos e dificultando o que poderia ser simples e educado. Cássia Virgens


Por isso que ele era chamado de ' O GRANDE' Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE, O GRANDE:
1, Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2, Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistado como prata , ouro, e pedras preciosas ;
3, Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.
Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões desses pedidos e ele explicou:
1, Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2, Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3, Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos. Pense nisso...

Recebi essa história de Alexandre de uma amiga, no indício de um ano que já começou conturbado para muitos.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Adaptação escolar -Revista Nova Escola


A revista trás cinco situações que denomina “mito”, sobre o período de adaptação escolar na pré- escola. Percebi informações interessantes a cerca desse período e outras nem tanto, mas vale a pena ler.


Criança que não compartilha brinquedos não está adaptada;

Criança adaptada é extrovertida e participativa;

Na Educação Infantil, todos precisam ser amigos;

Quando estão integrados ao grupo, os pequenos não choram mais;

A presença dos pais nos primeiros dias só atrapalha a adaptação.



Adaptação: o fim de cinco mitos


segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

O currículo


“O currículo praticado pelas escolas/faculdades não atendem a todas as camadas” isso é fato! Então, aos interesses de qual camada ele se destina?
Sabemos que no ambiente escolar não existe neutralidade, existe uma orientação ideológica que implica imediatamente na seleção e apresentação de conteúdos. E que essa orientação é oriunda dos grupos mais abastados, que dominam a maioria dos setores sociais. Se existe uma divisão em classes/grupos sociais, há uma distinção entre elas, se existe um grupo que domina, existem os que obedecem e no nosso país essa realidade preconceituosa ainda permanece e fica mais evidente quando pensamos nas pessoas que vivem do trabalho manual e do intelectual, percebemos ai, uma valoração de um em detrimento do outro.
A escola é de certo um dos maiores veículos formadores, seu poder atinge a todas as camadas, mas de forma diferenciada. Dentro dela transita entre outras coisas, o vasto Currículo Oculto que abrange todo o ambiente escolar e as relações que permeiam nesse espaço. Currículo esse, que na maioria das vezes vive ignorado nesse contexto, o que permite com maior facilidade, a difusão de interesses e valores ideológicos da classe dominante.
Não se pode negar que o currículo mudou diante de tanta pressão social, mas mudou menos do que devia e podia, porque quem sabe do poder ilimitado da linguagem e usa a seu favor, sem sobra de dúvida sabe também do poder de mudança que o currículo e os educadores têm.
Um currículo sério e comprometido vai permitir que a escola seja construtora de imagens e ampliadora de visões, que valorize as pessoas, destacando suas potencialidades e não apenas reproduzindo.
Restam mais algumas questões: - E o currículo do professor? Como ele pode enxergar se não tem olhos? Como pode promover ou entender as mudanças propostas se não sabe integra-las ao cotidiano?

Cássia Virgens
Salvador, 16 de fevereiro de 2009.

Termas de Puritama - Chile

Relaxante  Um oásis no deserto! Não aceita cartão, então leve dinheiro para pagar a entrada em Puritama (Adulto CLP15000 pesos e cr...